Desenvolvimento infantil é tema de diálogos digitais promovidos pelo CFP

tea 1.PNG

O Conselho Federal de Psicologia (CFP) vai realizar duas lives com temas relacionados ao desenvolvimento infantil. As atividades serão transmitidas ao vivo pelas redes sociais do CFP nos dias 22 de novembro e 1º de dezembro, sempre às 16h. Os diálogos vão reunir especialistas para apresentar a diversidade teórico-metodológica da Psicologia na compreensão e intervenção acerca do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e do Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH). 

A primeira live ocorre na próxima terça-feira (22) abordando o Transtorno do Espectro Autista – TEA: Desafios, Possibilidades e Perspectivas para Avaliação e Intervenção Psicológicas. O diálogo digital terá a mediação da conselheira federal Izabel Hazin e receberá as convidadas Cláudia Mascarenhas, do Instituto Viva Infância; Silvia Ester Orru, da Universidade de Brasília (UnB); e Tatiana Pontrelli Mecca, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Durante o encontro também será oficialmente lançado o Grupo de Trabalho do CFP sobre Desenvolvimento Infantil, com participação da presidente do Conselho, Ana Sandra Fernandes.

Na quinta-feira (1º) será discutido o tema Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade – TDAH: Desafios, Possibilidades e Perspectivas para Avaliação e Intervenção Psicológicas. A vice-presidente do CFP, Anna Carolina Lo Bianco, mediará o diálogo com as especialistas Rita Almeida, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); Alessandra Gotuzo Seabra, professora da Universidade Presbiteriana Mackenzie; e Alexandra Anache, da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS).

A realização das lives é a primeira ação do Grupo de Trabalho sobre Desenvolvimento Infantil, criado pelo atual plenário do Conselho Federal de Psicologia diante da importância de se debater os temas TEA e TDAH. O colegiado vem atuando desde setembro deste ano, com foco nas práticas relacionadas ao acompanhamento de crianças com espectro autista. “A diversidade da Psicologia deve ser diretriz das ações do grupo, de forma que o tema seja contemplado por debates entre as várias perspectivas existentes”, destaca Izabel Hazin, integrante do GT.

Os diálogos digitais podem ser acompanhados em tempo real pelas redes sociais do CFP. Participe!

 

https://www.youtube.com/watch?v=YmQ2N391C5s

Redes Sociais

Ao continuar navegando, você concorda com as condições de Política de Privacidade. Para ter mais informações sobre como isso é feito, acesse Política de Privacidade.