CRP19 discute identidade do profissional da Psicólogo nas organizações

10/03/2016 - 14H46






          Com a provocação “Qual o papel  e a identidade do psicólogo das organizações neste momento de crise econômica?”, o Conselho Regional de Psicologia promoveu, nesta quarta-feira (9), mais uma rodada  do pré-congresso,  fase em que são discutidas e elaboradas propostas  a serem apresentadas por delegados eleitos ainda nessa fase de conferências,  nos congressos regional e nacional.

          O papel do psicólogo nas organizações e no trabalho, a posição  frente à crise que como consequência gera demissões, inclusive do profissional da Psicologia, principalmente na área de recursos humanos, as competências, a atuação frente aos demais profissionais e à sociedade e o que o graduando em Psicologia deve observar para  a sua futura atuação,  foram os pontos que nortearam o debate.

          “Trouxemos o papel e a identidade do psicólogo organizacional, não só no mundo corporativo, mas atuando também como autônomo, questões diárias de atuação  e  quais ferramentas devem ser desenvolvidas pelo profissional da psicologia para atuar com mais qualidade”, disse o Mestre Saulo Pereira de Almeida, Psicólogo palestrante convidado.

          Outras questões levantadas entre os profissionais dizem respeito à ampliação, qualificação, remuneração e falta de autonomia no exercício profissional no Estado. “Nesse ponto estamos falando de garantia de direitos.  A contratação do psicólogo como analista, e não como profissional da Psicologia e a substituição por tecnólogos em Recursos Humanos são vistos  como problemas para a categoria, tanto com relação à identidade do próprio profissional no ambiente de trabalho, como na falta de oportunidade de demonstrar para outras áreas o fazer “psi”. E essa falta de reconhecimento também gera impasses na remuneração”, explicou a Professora Doutoranda Lidiane dos Anjos Santos Andrade, Conselheira do CRP19 e também  palestrante convidada. 

          Ao final foram elaboradas algumas propostas, como por exemplo, melhor divulgação, junto aos gestores, da atuação do psicólogo nas organizações  evidenciando a diferença da atuação do psicólogo para outras áreas, a de  inserção na grade de formação do curso de Psicologia o aprofundamento de indicadores e legislação trabalhista. “Todas as discussões e propostas   foram feitas com base nos eixos do Conselho Nacional de Psicologia “, informou a Conselheira.

          As discussões do pré-congresso serão retomadas no dia 16 de março. Os debates acontecerão na sede do Conselho Regional de Psicologia.

Acesse  http://www.crp19.org.br/eventos/9_congre_psi.html e confira a programação completa.