Conselho Itinerante leva informações sobre ética profissional e funcionamento do Sistema Conselhos para estudantes de Psicologia da Unit

30/10/2019 -21H27

              Em mais uma edição do Conselho Itinerante, projeto da Comissão de Orientação e Fiscalização do Conselho Regional de Psicologia da 19a  Região, as psicólogas  Marcela Flores (CRP19/1096), orientadora fiscal, Lidiane Drapala (CRP19/1664), pesquisadora do CREPOP e Talita Costa (CRP19/3684), analista técnica da Comissão de Ética (COE), estiveram nesta quarta-feira, 30, com os alunos do 1o período do curso de  Psicologia da Universidade Tiradentes-Unit. 

               “O objetivo foi dialogar sobre as questões pertinentes a ética profissional, a legislação profissional, orientar em relação ao Conselho de Psicologia, em sua estrutura e organização”, explicou Flores.

               O convite para esse encontro foi do Professor Doutor Diogo Sousa, da disciplina Psicologia e Ética Profissional. Segundo ele, na nova matriz curricular a disciplina foi inserida no primeiro período do curso  para que os alunos pudessem conhecer um pouco de como deve ser a atuação da(o) psicóloga(o) dentro dos preceitos éticos da nossa profissão. “Serão anos de estudos com muitas práticas. A partir do segundo período o estudante já começa a ter disciplina na qual vai atuar como psicólogo em formação e por conta disso é importante que, desde o início, a(o) aluna(o) saiba quais são os preceitos éticos a serem seguidos. Nós esperamos que, cada vez mais, os alunos do curso de Psicologia da Unit formem-se conscientes da prática profissional da Psicologia”, explicou professor Diogo.

               Para a psicóloga Talita Costa, membro da COE/CRP19, que passou a integrar a equipe do Conselho Itinerante, os exemplos fornecidos e as dúvidas sanadas ajudaram na compreensão e conscientização acerca da temática e suas implicações no cotidiano das(os) futuras(os) psicólogas(os). “Muito válido que o primeiro contato das(os) alunas(os)  do primeiro ano da graduação com os profissionais do Conselho seja justamente sobre  o Código de  Ética, o qual se configura o principal  norteador das práticas profissionais da(o) Psicóloga(o) e também serve  para proteger o interesse das pessoas”, esclareceu.  

               Entre as principais dúvidas foram apontadas questões relacionadas as práticas privativas da(o) profissional de psicologia, terapias associadas e atendimento on-line. “As redes sociais têm dado margem e franqueado a palavra para maior divulgação de práticas psicológicas. Atividades como essa, com surpreendente participação, podem favorecer uma reverberação reflexiva das(os) estudantes nas outras disciplinas do curso.  Falar sobre ética no primeiro período, com discussões bastante atuais sobre a prática psicológica, provoca nas(os) alunas(os) a possibilidade de enxergar as outras disciplinas do curso com olhos mais conectados com a realidade sobre o que pode e o que não pode enquanto fazer da Psicologia”,  concluiu Lidiane Drapala.