Nota de Repúdio à violência contra os povos indígenas

28/01/2016-19h07    

Nota de Repúdio à violência contra os povos indígenas no Brasil 
e de apoio a uma maior inclusão das questões indígenas na atuação e formação em Psicologia Social

 

                               Nota de Repúdio à violência contra os povos indígenas no Brasil e de apoio a uma maior inclusão das questões indígenas na atuação e formação em Psicologia Social. A Associação Brasileira de Psicologia Social vem a publico externar o repúdio ao assassinato da criança indígena Victor Pinto, da etnia Kainkang, ocorrido em 30 de dezembro de 2015. A criança foi morta, de modo cruel, com um corte no pescoço, enquanto era alimentada pela mãe que estava sentada na frente de uma rodoviária para comercialização dos produtos artesanais confeccionados pela etnia.

                A ABRAPSO manifesta pesar e solidariedade aos pais de Victor e a toda a Aldeia Condá, localizada em Santa Catarina. Faz observar que a violência contra os povos indígenas, infelizmente, trata-se de uma constante nas diversas regiões do país, sendo visíveis os efeitos perversos que se expressam na forma de etnocídio, genocídio e nas discriminações cotidianas.

                A ABRAPSO entende que a questão indígena deve ser tratada como um dos temas prioritários na agenda de pesquisas e práticas psicossociais, de maneira que a aproximação de psicólogos e psicólogas sociais com os povos originários seja intensificada não apenas no momento da dor e da indignação diante de um ato de violência, mas, também, no cotidiano da atuação e formação, sendo integrada, de modo interseccional, às pautas que, historicamente, vem constituindo a Psicologia Social.

Diretoria Nacional da ABRAPSO.

Gestão 2016-2017.