CRP19 promove debates em alusão ao mês da(o) Psicóloga(o)

16/08/2019 -14H42

              O Dia da(o) Psicóloga(o), comemorado em 27 de agosto, reverbera durante todo mês. “A proposta é movimentar o mês dos(as) psicólogos(as) de forma bastante diversificada, contemplando as várias áreas de atuação, trazendo os profissionais e estudantes do nosso Estado para dialogarmos sobre a nossa ciência e sobre a nossa categoria. Ficamos felizes com essa movimentação”, enfatizou Claudson Rodrigues, Conselheiro Presidente do Conselho Regional de Psicologia da 19ª Região.

               Além de discutir temas emergentes, a programação do  CRP19 lança  novos olhares para temas que estão em voga. “Foram convidadas  pessoas que estão praticando seus préstimos à Psicologia em diversos âmbitos, pessoas de graduação de diversas universidades, pesquisadores, pesquisadoras  professoras de universidades privada e pública numa tentativa, como já é marca do CRP19, trazer essa diversidade”, explicou a psicóloga Lidiane  de Melo Drapala, referência técnica  Centro de Referência Técnica em Psicologia e Políticas Públicas (CREPOP/CRP19), responsável pelo planejamento das atividades.

               Os eventos são gratuitos, com certificação de horas e os temas que estarão em debate, segundo Drapala, consideram a declaração universal dos direitos humanos. “Algo que tem se tornado cada vez mais óbvio, de urgência para que a gente reafirme que o nosso fazer, é sim, implicado com a Declaração Universal dos Direitos Humanos. Nós temos uma ciência que é diversa, temos também diversos paradigmas científicos e a Psicologia nasce com seus fundamentos epistemológicos de múltiplas fontes”, falou.

               A estudante de Psicologia e estagiária do CREPOP,  Taynã Querino,  trouxe para pauta  do evento temas  que, segundo ela,  são constantemente invisibilizados  pela sociedade e, consequentemente, pela academia e categoria profissional. “Considerando que o Sistema Conselhos de Psicologia se propõe a valorizar e defender os direitos humanos, entendo que o evento deve abarcar, dentro do possível, o máximo de temas que digam respeito às violências produzidas pelo machismo, racismo, sectarismo, lgbtfobia, entre outros. E, ainda, trazer à luz discussões sobre práticas que não são tão valorizadas no âmbito acadêmico. Considero que a(o) psicóloga(o) é agente de transformação da sociedade e que, o Conselho de Psicologia, enquanto órgão que orienta e fiscaliza as práticas, também tem como função a de posicionar-se frente às diversas formas de sofrimento que são vividas diariamente por milhões de pessoas”, enfatizou.

               A programação teve início no último sábado com a “Consulta Pública do CREPOP com profissionais que atuam no Serviço de Atendimento Especializado em IST/HIV/Aids”, evento que reuniu pesquisadoras(es) em Direitos Humanos e Saúde Mental, no auditório do CRP19, para  revisão do documento lançado em 2008 e contribuições para a segunda edição da publicação “Referência Técnica para Atuação de Psicólogas(os) em Programas de IST/HIV/Aids”.

               “Além dessa consulta pública do CREPOP, faremos o lançamento de referência  e de um material muito importante que são as tentativas de aniquilamento da subjetividade LGBTi”, explicou Lidiane.

               A partir da segunda-feira, 19, todos os dias um novo tema estará em discussão no projeto “Conversando sobre”. Dia 19, "A clínica e suas dimensões sociais e ético-políticas", dia 20, “Efeitos do racismo na subjetividade da pessoa negra". Na quarta-feira, 21, estará em evidência “Acompanhamento terapêutico: discutindo conceitos e práticas”, na quinta, 22, “Psicologias e as práticas integrativas e complementares: atravessamentos possibilidades e ética profissional”. Na sexta, 23, “As questões do(s) feminino(s) enquanto pauta para engajamento da Psicologia” e encerrando a semana de atividade, dia 24, sábado, “A prática em políticas públicas e o cenário político atual”. Na última semana de agosto, dia 27, dois eventos: à tarde, “Qual o lugar da(o) psicóloga(o) branca(o) na luta antirracista?”,  à noite,  acontece o  Debate sobre a nova resolução de documentos escritos. Na quarta-feira, 28, à tarde “Você sabe o que é e qual a função do Crepop?, à noite, “ Interconexões e diálogos” com os temas “Coaching como psicologização da barbárie” e  “A nova razão neoliberal no cotidiano da escola privada”, na sequência será realizado um debate. O lançamento do livro do Sistema Conselhos de Psicologia: "Tentativas de aniquilamento de subjetividades LGBTIs" acontece na quinta-feira, 29. Já no dia 30, a temática será sobre trânsito, e no sábado, encerrando as atividades do mês das(os) Psicólogas (os), um debate sobre “Contribuições para uma psicologia negra: Da academia à aplicabilidade práticas cotidiana”.

               “Um mês de agosto marcado pela diversidade, pela pluralidade. Categoria profissional, estudantes de diversas universidades, de graduação e pós-graduação são convidados para essa construção coletiva de múltiplos olhares”, finalizou Drapala.