Violência contra a criança e o adolescente é tema de debate no CRP19

 
Nesta quarta-feira, 15, o Conselho Regional de Psicologia de Sergipe, através da Comissão de Direitos Humanos, realizou mais uma edição do projeto Roda de Conversa. A historiadora Josevanda Mendonça Prado e a psicóloga Lidiane de Melo Drapala foram as convidadas para discutir o tema "Violência contra a criança e o adolescente". A conversa mediada por Fernando Antônio Nascimento da Silva, psicólogo conselheiro integrante da Comissão de Direitos Humanos, foi iniciada com o convite a reflexão do fenômeno da violência sob a perspectiva das práticas diárias. "É interesse do Sistema Conselhos de Psicologia, em Sergipe através do CRP19, franquear espaços de reflexão e promoção de práticas comprometidas com os Direitos Humanos", informou o Conselheiro. Há 40 anos atuando como educadora em escolas das redes privada e pública, Josevanda Mendonça que esteve à frente do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA e atualmente é prestadora de serviços de consultoria junto a várias organização, a exemplo da UNICEF, abordou a questão da violência como algo inerente às sociedades humanas. "Um fenômeno social que só pode ser entendido à luz da antropologia, à luz da sociologia, à luz da psicologia, à luz da história. Não há momento algum na vida em sociedade, ou mesmo dentro dos processos civilizatórios, que a gente não tenha vivenciado essas questões ligadas à violência", explicou Josevanda Mendonça. A psicóloga Lidiane Drapala, que há 10 anos atua em políticas públicas e na política de assistência social, tem trabalhado em serviços de proteção social especial, principalmente com adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa em meio aberto. É também pesquisadora da Rede CREPOP, serviço do Sistema Conselho de Psicologia que realiza pesquisas sobre atuação de psicólogos em políticas públicas em todo território nacional. Baseada nessa experiência, ela fez uma relato dos serviços dos Centros de Referência Especializados de Assistência Social- CREAS, na cidade de Aracaju. "Todos os dias nós acompanhamos histórias de vida muito cruéis, com fragilidades na estrutura familiar, o que gera vivência da rotina das ruas desde muito cedo, envolvimento em atos infracionais. O cuidado que nós profissionais dos serviços públicos temos que ter é de muita acolhida, respeitando princípios constitucionais que o demarcam como sujeito de direitos. Se o Estado executasse, fielmente, o que está posto na letra da lei, como direito à moradia, ao trabalho, à saúde, à educação, ao esporte e lazer, dentre outros, os nossos adolescentes teriam condições de inserção em mercado de trabalho, em acompanhar novo processo de alfabetização, por exemplo", finalizou Drapala. A última edição de 2014 do projeto Roda de Conversa já tem data marcada: dia 29 de outubro. E o tema será a "Violência no Trânsito".