Psicólogas realizam vivência sobre cuidados em saúde mental com trabalhadores em Nossa Senhora do Socorro

28/01/2018 -21H27


               Na terça-feira, 23, trabalhadores da Asa Branca Distribuidora, empresa localizada no município de Nossa Senhora do Socorro(SE), fizeram uma pausa para participar de uma vivência alusiva à Campanha Janeiro Branco. Com a temática “Saúde Mental: quais os caminhos possíveis?”, as psicólogas Jucycleia Ramos de Souza (CRP19/3140) e Tandara Kelly Ferreira Barbosa (CRP19/3062) convidaram os funcionários para refletir sobre prevenção em saúde emocional e debater sobre as diversas possibilidades de cuidado.

               Uma dinâmica quebra-gelo foi realizada no início das atividades. Cada participante riscou um palito de fósforo para fazer uma autoapresentação enquanto a chama estivesse acesa. O acanhamento e a economia de palavras possibilitou aos presentes uma reflexão sobre a dificuldade que os seres humanos possuem em fazer contato  e externar as próprias emoções. As facilitadoras fizeram uma analogia com os objetivos da Campanha Janeiro Branco que pretende incentivar pessoas, de todas as idades, a entrarem em contato com os próprios sentimentos e buscarem auxílio sempre que necessário para superação das dificuldades emocionais contribuindo, deste modo, para a criação de uma cultura de valorização da subjetividade.

               Um trabalho de autoconhecimento foi proposto pelas profissionais de Psicologia que solicitaram aos trabalhadores a identificação de elos entre experiências do passado e presente e que promovem expectativas em relação ao futuro. “O contato com as emoções vivenciadas na infância e as prioridades do presente são imprescindíveis para seja feita uma autorreflexão e, deste modo, o estabelecimento de metas apropriadas em relação ao futuro”, explicou Tandara Kelly.

               A vivência possibilitou um relevante debate dentro da organização. “Os colaboradores puderam expressar conflitos vivenciados dentro empresa, no ambiente familiar, compartilhar meios possíveis de solucioná-los e de estabelecer hábitos saudáveis de vida”, relatou Jucycleia Ramos.

               No decorrer da vivência, dúvidas foram esclarecidas acerca do papel do psicólogo, do momento em que se deve recorrer ao auxílio da psicoterapia e da psiquiatria e como a busca do equilíbrio contribui para a manutenção da saúde mental e a prevenção de doenças ocupacionais.