Bullying e os impactos na saúde mental de crianças e adolescentes

22/01/2018 -16H40


               Na terça-feira, 9, a pauta da prevenção em saúde mental foi levada à Escola Estadual 8 de Julho, localizada no bairro Ponto Novo, em Aracaju(SE). Professores e estudantes foram contemplados com a palestra “Bullying e os Impactos na Saúde Mental de crianças e adolescentes”, ministrada no auditório da instituição.

               O trabalho faz parte de um conjunto de atividades da Campanha Janeiro Branco e foi realizado pelo psicólogo Pedro Alves dos Santos Filho (CRP19/1910) e pelos estudantes de psicologia Hugo Araujo de Oliveira, Maria Ivanadja dos Santos e Elisângela de Jesus Santos Araújo Machado.

               A manhã foi marcada por momentos de partilhas, reflexões e aprendizado. Inicialmente, estudantes de psicologia realizaram uma Dinâmica de Grupo denominada “Saúde Mental: Mitos e Verdades” que teve o objetivo de chamar a atenção para a percepção, muitas vezes equivocada, que a população possui acerca dos tratamentos em saúde mental e do papel do profissional de psicologia na sociedade. Voluntários foram chamados à frente do auditório e convidados a estourar balões que continham frases com mitos e verdades envolvendo aspectos de saúde mental e emocional.

              Os facilitadores elucidaram as questões e abriram um espaço para discussões sobre o significado e a importância de se atentar aos cuidados necessários à própria e à saúde mental das pessoas que nos cercam. Uma palestra foi realizada em seguida pelo psicólogo Pedro Alves com o objetivo de apresentar a Campanha Janeiro Branco e fazer um convite para que os participantes se tornem multiplicadores dos aprendizados recebidos.

               Para Elisângela Machado, estudante de psicologia, as atividades abrem novos horizontes para a criação de uma cultura da subjetividade. “A campanha Janeiro Branco é de suma importância uma vez que, ao promover ações preventivas, mobiliza a sociedade a refletir acerca dos estigmas que envolvem a temática, além de fortalecer e disseminar entre as pessoas uma cultura de cuidados com a saúde mental. Procuramos trazer aos alunos algumas atividades mais dinâmicas a fim de que houvesse uma maior interação com o público e pudéssemos despertar o interesse deles pelo assunto. Ao perceber o envolvimento de todos, ficamos extremamente contentes ao perceber que os objetivos de nossas atividades foram atendidos”, relatou.