Suicídio e o papel da família: como ser um fator de proteção?

02/10/2017 -16H25


               No sábado, 28, a psicóloga Jucycleia Ramos de Souza (CRP 19/314) esteve com pais de alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental Papa João Paulo II, no bairro Santa Maria, zona sul de Aracaju para  falar sobre os tabus que ainda circundam o tema suicídio e o papel da família como fator de proteção.

               “Esse foi um momento de esclarecimento muito importante. É fundamental trabalhar com um público que muitas vezes não tem acesso a informações e esclarecimentos essenciais sobre o assunto e de como ajudar quem está passando por algum
sofrimento”, disse Jucycleia  de Souza

               A psicóloga apresentou ainda dados acerca da incidência dos casos, os mitos que ainda
existem sobre os atos e pensamentos suicidas, de como se tornar um fator de proteção dentro da família e como ter um olhar mais atento aos  os sinais manifestados na pessoa com sofrimento e tendência suicida.

               “A palestra foi excelente e bem pertinente. Especialmente porque chamou a atenção para os sinais verbais e comportamentais das pessoas que estão sofrendo com suas dores. Percebemos a necessidade de abrangermos o tema com pais de nossos alunos quando foi questionado se conheciam alguém que havia atentado contra a própria  vida e cerca de 40%  dos alunos relataram que conheciam  alguém próximo”, relatou Flávia Oliveira Silva, diretora adjunta da EMEF.