Suicídio na Adolescência: fatores de risco, formas de prevenção e alternativas de intervenção

28/09/2017 -14H07


               O psicólogo Reginaldo Vieira S. Júnior (CRP 19/1549) realizou nessa terça-feira, 26, atividades de Valorização da Vida com adolescentes que frequentam o Projeto “Campeões do Aprender”, do Centro Social Porto D’anta, localizado na zona norte de Aracaju. Também participaram da atividade os familiares dos jovens, a equipe que desenvolve o projeto no bairro e trabalhadores do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Porto D’Anta.

               A atividade aconteceu de modo interativo e teve como objetivo fomentar reflexões sobre prevenção ao suicídio na adolescência por conta da Campanha Setembro Amarelo. Após as discussões iniciais, os participantes colocaram a mão na massa e foram divididos em subgrupos a fim de aprofundar as questões/provocações e refletir sobre a seguinte indagação: se alguém muito próximo dissesse que vai atentar contra a própria vida, o que devemos fazer?

               Cada subgrupo fez uma pequena dramatização sobre como prestar auxílio e fazer os encaminhamentos necessários a alguém que esteja passando por algum tipo de sofrimento psíquico e apresentando ideação ou comportamento suicida. Vieram à tona experiências de vida relacionadas à temática e o diálogo apareceu como um importante fator protetivo.

               O trabalho foi finalizado com um momento de partilha entre todos os participantes da atividade. O facilitador, Reginado Vieira, conduziu uma roda de conversa apresentando aos adolescentes dados sobre o tema, questões importantes a serem desmistificadas e fatores de risco muito comuns ao suicídio na adolescência tais como: o uso abusivo de álcool e substâncias psicoativas, bullying, questões ligadas à orientação sexual e identidade de gênero, dentre outros.

               Os meios possíveis de intervenção foram transmitidos como forma de ressaltar o engajamento de todos nos processos de prevenção, o mote da campanha. Enfatizaram-se os trabalhos em grupo, a articulação de políticas públicas, o investimento em cultura, esporte, lazer e a importância do diálogo entre familiares e amigos como fatores de prevenção.