A Valorização da Vida começa na infância

16/09/2017 -21H35


               Com o intuito de promover reflexões sobre a Valorização da Vida, os educadores sociais Josiene Ferreira, Roselene Araujo e Paulo Xavier realizaram oficinas com educandos do CRAS Dr. Carlos Fernandes de Melo, localizado no Bairro Lamarão, em Aracaju(SE). Os profissionais criaram um percurso para discutir a temática e realizaram entre os dias 12 e 15 de setembro, rodas de conversa, debates, confecção de cartazes e painéis em alusão à campanha ‘Setembro Amarelo’.

               Os dados envolvendo suicídio na infância são pouco divulgados, estão crescendo e já são motivo de muita preocupação por parte de profissionais de saúde, educadores e sociedade em geral. “Nosso objetivo foi conversar sobre o assunto de forma mais acessível e numa linguagem que eles pudessem compreender. Durante a semana buscamos discutir com nossos educandos que existe diferença entre uma simples tristeza e a depressão, que é preciso ficar atento porque o bullying, o uso inadequado da internet e outros fatores podem levar alguém a tirar a própria vida. O nosso trabalho foi finalizado com a materialização de tudo que aprendemos por meio da construção de um cartaz com informações sobre a Valorização da Vida e um Laço da Campanha Setembro Amarelo”, relatou Josiene Ferreira, educadora social do CRAS.    

               O Centro de Referência é coordenado pelo psicólogo Reginaldo Vieira (CRP 19/1549)  que, voluntariamente, promoverá uma atividade alusiva ao Setembro Amarelo, por meio de uma roda de conversa abordando o “Suicídio na Terceira Idade”, no dia 18 de setembro, às 14h, com o Grupo de Idosos do CRAS Porto D´Anta. No dia 26, o psicólogo iráa ministrar  a palestra, “Suicídio na Adolescência: fatores de risco, formas de prevenção e alternativas de intervenção”, voltada aos adolescentes assistidos pelo Centro Social do mesmo bairro.