Fatores de risco ao suicídio, cyberbullying e depressão na adolescência são discutidos em Escola de Aracaju

08/09/2017 -11H06


               Dentro das ações do “Setembro Amarelo”, na segunda-feira, 4, no colégio Bom Pastor, localizado no bairro 18 do Forte, zona norte da capital, o psicólogo Pedro Alves (CRP 19/1910) e psicóloga Hortência Maria (CRP 19/2044), realizaram uma roda de conversa com estudantes e professores da instituição. Durante a atividade, foram apresentados painéis educativos sobre auxílio profissional, o papel da família, da escola e do educador na prevenção do suicídio. Os alunos puderam interagir tirando dúvidas sobre o assunto e trazendo à tona experiências do cotidiano relacionadas aos cuidados com a saúde mental, relacionamentos interpessoais, bullying e meios de prevenção. Cartilhas educativas com informações e orientações sobre sinais de alerta, contatos dos centros de saúde e apoio emocional foram distribuídas aos professores.

               “Auxiliar os nossos educandos sobre os cuidados que eles precisam ter com a saúde e com a própria vida é imprescindível para que se possa garantir um desenvolvimento saudável. Ações relacionadas aos cuidados com a Saúde Mental já desenvolvidas na Escola durante a ‘Campanha Janeiro Branco’ foram extremamente importantes para elucidar o assunto. Iniciar este mês falando sobre a valorização da vida e prevenção do suicídio com a ‘Campanha Setembro Amarelo’ é de muita relevância a fim de que eles possam ter mais conhecimento para lidar com a questão e, sobretudo, auxiliar quem esteja precisando de ajuda”, disse  Mara Prado, orientadora educacional da Instituição.

               A campanha “Setembro Amarelo” vai levar para diversas escolas de Aracaju(SE), durante todo mês, rodas de conversa com a temática sobre prevenção do suicídio. As ações nas instituições têm como foco os adolescentes e conta com o apoio do Conselho Regional de Psicologia de Sergipe.