Estágio curricular é pauta de encontro da ABEP em Sergipe

06/05/2017 -16H36


               Com o compromisso de qualificar a formação em Psicologia em Sergipe, representantes das quatro instituições de ensino em Psicologia do estado (UFS, UNIT, Estácio/Fase e Pio Décimo), Associação Brasileira de Ensino em Psicologia (ABEP) e Conselho Regional de Psicologia da 19a Região (CRP19), participaram do I Encontro Regional da ABEP.  O evento, que aconteceu no auditório da Faculdade Pio Décimo, reuniu professores, estudantes e profissionais da área. Em pauta, os impactos das experiências de estágio curricular na formação e atuação profissional.

               “O evento proporcionado pela ABEP, com o apoio do Conselho Regional de Psicologia foi de grande relevância para nosso Estado. Todas as universidades e faculdades trouxeram várias contribuições para o crescimento na formação da Psicologia, com questões pontuais, e vivenciais nossas enquanto supervisores, e os desafios de campo de estágio em nosso estado. Pontuamos o nosso compromisso social no fortalecimento da nossa categoria e também na valorização da nossa profissão”, disse Profᵃ. Doutoranda Lidiane dos Anjos Santos Andrade, representante da Universidade Tiradentes.

               Entre os diversos temas no ensino e da formação em Psicologia, a  Profª Dra. Suenny Fonsêca de Oliveira, diretora da Associação Brasileira de Ensino de Psicologia, fez uma explanação sobre a ABEP e o compromisso com a formação profissional.  “O estágio é um tema complexo. Está é dividido em diversas formas: estágio específico, básico, obrigatório e não obrigatório, com diferentes níveis de complexidade. É comum alunos e orientadores sentirem dificuldade. É um tema de fundamental importância para a formação do aluno que em breve estará atuando como profissional”, explicou.

               O Prof. Dr. Walter Lisboa Oliveira, representante da Faculdade Estácio/Fase, apresentou alguns desafios na formação do aluno e da necessidade de articulação das demandas dos estudantes, do processo entre conteúdo e prática e do mercado de trabalho. “Temos a preocupação em desenvolver nesse aluno o compromisso ético, o compromisso social para que ele seja, tecnicamente,  um bom profissional e também engajado com questões sociais. Queremos ter bons profissionais, então é preciso discutir a formação”. 

               O Professor Doutorando Thiago Cavalcante Lima, representante da Faculdade Pio Décimo, apresentou algumas reflexões sobre estágio clínico em Psicologia e de como essa formação deve ser um complemento do ensino e da aprendizagem. “A atividade de estágio constitui exercício profissional, supervisionado. O aluno utiliza métodos e técnicas psicológicas que, são privativos do profissional psicólogo, por isso deve ser assistido por um profissional habilitado. É importante atentarmos para a  inadequação corrente em cursos de graduação em Psicologia, que muitas vezes impõem ao estagiário uma condição de aprendizagem "in loco", sem prévio conhecimento da atividade, implicando prejuízo à formação do estagiário, inadequada prestação de serviços, conduta antiética e demérito à profissão”, alertou.
 
               A experiência de duas alunas em estágio em hospital privado na área de atuação para Psicologia Organizacional e do Trabalho (POT) e de como a atuação das estudantes rendeu  a produção do primeiro manual de cargos da empresa foi o foco da apresentação da  Profª Dra. Marley Rosana Melo de Araújo. “O resultado para as alunas foi uma experiência rica de formação e auxiliou, para uma delas, na definição da área de atuação profissional. Além disso, a partir dessa pesquisa, vamos produzir uma publicação com as experiências da intervenção.  O estágio não é somente uma preparação para o mercado de trabalho.  É também uma formação pessoal, uma experiência de vida. Estágios bem feitos abrem possibilidades, inclusive, de absorção pela empresa que concedeu o campo”, relatou a representante da Universidade Federal de Sergipe.

               Além de ter uma nova perspectiva sobre o impacto dos estágios na formação, os alunos que participaram do debate também tiveram espaço para questionar e sugerir ações. “Quando a gente começa a fazer estágio surgem várias dúvidas. Conhecer os programas ofertados pelas instituições de ensino em Psicologia e a saber da preocupação da ABEP na formação desse profissional, nos oferta, além de conhecimento, segurança na atuação”, relatou Rusbeno Mariano Bruno, estudante do nono período da faculdade Pio Décimo.


               Para o conselheiro presidente do CRP19, Alan Santana Santos, o que foi apresentado pelas Instituições de Ensino Superior rendeu um rico debate nos campos de estágios e práticas da Psicologia nesses espaços. “A ABEP  tem um papel nacional, na formação qualificada do profissional. A Psicologia sergipana ganha um apoio para ampliação dessa qualidade. Depositamos nossa expectativa e colaboração para que, assim como em outros estados, esse novo conceito aconteça também em Sergipe”, finalizou.