CRP19 participa de Simpósio sobre Saúde Mental em Lagarto

03/04/2017 -16H37


               Com o objetivo de debater o tratamento ampliado e integrado foram realizados nesse sábado, 1 de abril,  I Simpósio de Saúde Mental de Lagarto e o II Simpósio Lagartense de Outras Drogas e Álcool.  Organizado pelo Diretório Acadêmico de Medicina,  evento  reuniu estudantes e profissionais de diversas áreas  no  Campus da Universidade Federal de Sergipe, em Lagarto,  região do centro sul sergipano.

               A psicóloga Conselheira Petruska Passos (CRP19/ 0636), que representou o Conselho Regional  de Psicologia da 19ᵃ Região (CRP19), considerou importante essa integração das diversas categorias em benefício de um atendimento ampliado e integrado. “A ideia é que as demais profissões, já a partir  da faculdade, possam compreender a necessidade e benefícios para a população quando as diversas áreas da saúde trabalham de forma conjunta” explicou.

               Durante o simpósio, o  médico psiquiatra, Antônio Lima falou sobre “Psicoses, perversões e neuroses”, e numa visão geral, explicou o papel e o olhar da Psicanálise sobre o homem.  Com o tema  “Ansiedade x Depressão: As apresentações mais frequentes no meio acadêmico”, o segundo expoente  foi o também psiquiatra, Antônio Aragão, que falou sobre a potencialização do tratamento integrado, entre medicação e a psicoterapia, para o sucesso dos transtornos e doenças atuais como a depressão e o cuidado com potenciais suicidas.

               Em seguida, o enfermeiro  José Cícero de Alcântara, do Centro de Assistência Psicossocial (Caps) de Lagarto, fez uma “Abordagem do Etilista na rede”, (sistema que compõe a Saúde Mental do município). Ele abordou o trabalho interdisciplinar realizado pelo CAPS AD Lagarto explicitando o alto alcance dos trabalhos devido ao grupo de trabalho composto por diferentes profissionais, dentre eles, o psicólogo.

               A médica psiquiatra  Norma Alves  falou da importância das várias formas de crença, incluindo a espiritualidade, no processo de cura dos tratamentos, ampliando o olhar para uma psicologia transpessoal e neurocientífica, foco da temática “Espiritualidade e saúde mental” .

               “A visão da Psicanálise acerca da depressão: o que dizer sobre o suicídio?”. A partir desse questionamento, o psiquiatra Yusaku Soussumi abordou o modelo de funcionamento humano e o desamparo intrínseco a todo ser humano e como a memória, em um conceito ampliado, é importante para a evolução das espécies. E no  encerramento do ciclo de palestra, a terapeuta ocupacional, Raphaela Genezini, trouxe a diferença entre o trabalho da terapia ocupacional e a diferenciação com o trabalho do psicólogo.

               “Foi uma experiência muito rica e construtiva por ter perpassado as diversas áreas da saúde com olhares distintos. Inclusive, os organizadores do evento propuseram a inclusão do profissional da Psicologia nas próximas discussões, principalmente, quando estiverem ligadas à saúde mental. Acho um ganho para a nossa categoria já ter estudantes de medicina pensando em trabalhos interdisciplinares e coletivos” finalizou Petruska.