GT de Psicologia Organizacional e do Trabalho inicia da elaboração do plano de cargos e salários no CRP19

26/12/2016 -15H30



                 Com foco no melhoramento de gestão e a manutenção do equilíbrio interno e externo de seus serviços, o Conselho Regional de Psicologia da 19a Região decidiu implantar o plano de cargos e salários. Todo trabalho será feito pelos coordenadores do GT POT, sem custos para o CRP19.

                 “Não haverá ônus para o Conselho.  Os profissionais que desempenharão esse trabalho são coordenadores do GT e, voluntariamente, se colocaram à disposição. Com isso estamos trazendo o profissional de Psicologia para perto do seu Conselho. Além disso, vamos deixar formalizado quais as funções e atribuições do quadro funcional para que as próximas gestões já tenham essa base para seguir adiante”, explicou  a Conselheira Lidiane Dos Anjos .
Ainda de acordo com a Conselheira Lidiane dos Anjos, “por meio do Grupo de Trabalho Psicologia Organizacional e do Trabalho foi pensado o plano de cargos e salários, principalmente em benefício para os funcionários, além do reconhecimento e valorização da equipe”. 

                 Na primeira etapa do processo, que aconteceu nessa quarta-feira, 18, os consultores conheceram a equipe. “Esse é o processo de sensibilização, de contato com os funcionários do CRP19 para saber um pouco da rotina. Posteriormente, teremos uma entrevista individual para que possamos entender melhor o processo de cada atividade. Feito isso,  passaremos para fase de planejamento de cargos e salários, inserção profissional, formas de contrato, valores  para promoção vertical ou horizontal”, explicou o psicólogo Saulo Pereira de Almeida (CRP19/2822), um dos coordenadores do GT POT.

                 Segundo a psicóloga Ana Virgínia Andrade de Oliveira (CRP19/ 2260), também coordenadora do GT e consultora, a descrição de cargos vai possibilitar uma análise das necessidades para o melhor desempenho da organização.  “A estruturação traz muitas vantagens. Melhora as relações interpessoais, reduz conflitos e questões jurídicas porque traz segurança para o funcionário que conhece seus direitos e deveres”, finalizou.